Como criar uma estratégia híbrida adequada ao seu negócio

Uma pesquisa da Colliers revela como colaboradores se sentem em relação ao trabalho híbrido e oferece um caminho para empregadores

A pandemia da COVID-19 acelerou a adoção de modelos de trabalho virtuais e híbridos, e agora empresas de todas as regiões e setores estão refletindo sobre o futuro do trabalho e dos espaços de trabalho. Todos estão avaliando o que funcionou e o que não funcionou nos últimos 18 meses e tentando criar estratégias híbridas sustentáveis a longo prazo.

Para descobrir informações importantes sobre esse assunto, a Colliers realizou uma pesquisa no início de 2021 para compreender melhor as preferências dos colaboradores e empregadores em relação aos estilos de trabalho e como eles se encaixam nos modelos híbridos. Até o momento, a Colliers entrevistou mais de 9.400 líderes de negócios e colaboradores de todos os setores e regiões geográficas dos EUA.

Confira aqui algumas descobertas importantes dessa pesquisa, juntamente com conselhos sobre como as organizações podem trocar a abordagem de uma solução para todos por uma estratégia híbrida que se adapte à sua própria organização e colaboradores.

Tendências híbridas: o que os colaboradores e a administração pensam sobre o futuro do trabalho

Com base na pesquisa da Colliers, surgiram três tendências importantes, refletindo os novos conceitos de modelos trabalho (virtual e híbrido) desde antes do início da pandemia até o momento.

1. O desejo dos colaboradores de trabalhar virtualmente aumentou.

Imagens cortesia da Colliers.

De acordo com a pesquisa, a porcentagem da população que disse que nunca trabalharia em casa caiu de quase metade (47%) antes da pandemia para apenas 6%.

2. Mais da metade dos colaboradores e gerentes dizem que a produtividade do trabalhador aumentou um pouco ou significativamente desde que eles começaram a trabalhar on-line.

A pesquisa da Colliers revela que a maioria dos gerentes é a favor de que os membros de sua equipe trabalhem on-line frequentemente ou na maior parte do tempo.

3. Muitas atividades de trabalho podem ser realizadas on-line ou na empresa com a mesma eficiência.

Quase 40% das pessoas que responderam à pesquisa sentem que trabalhar colaborativamente com colegas é uma atividade que poderia ser realizada muito melhor ou um pouco melhor no local físico em comparação com o trabalho virtual.

Qual é o modelo de local de trabalho híbrido adequado para você?

O termo “híbrido” costuma ser usado de forma genérica. O próprio conceito de trabalho híbrido varia bastante nas organizações, mesmo entre o empregador e seus colaboradores

Embora não exista um modelo híbrido que sirva para todos, três estilos de modelos de locais de trabalho híbridos surgiram como opções distintas que estão sendo adotadas por organizações de médio a grande porte no momento. Apresentamos o que você precisa saber sobre cada um.

1.º: Mais flexível: prioriza o trabalho remoto, escolha individual

  • Os colaboradores tomam decisões em tempo real sobre onde querem trabalhar
  • Não há regularidade ou horário definido para a presença física
  • Indivíduos escolhem seu horário/local
  • Muito flexível

2.º: Modelo de dia principal: estratégia que prioriza o escritório

  • É esperado que todos estejam presentes no escritório durante um tempo determinado, e a equipe coordena reuniões agendadas
  • O restante da semana pode ser flexível
  • A equipe coordena o horário/local
  • Relativamente flexível

3.º: Menos flexível: abordagem hierarquizada

  • Os colaboradores precisam estar presentes no escritório em dias definidos
  • Essa estratégia ajuda a gerenciar a ocupação
  • O gerente escolhe o horário/local
  • Sem flexibilidade

O chefe de consultoria de espaço de trabalho flexível da Colliers, Will Burchfield, já atendeu interessados em todos os aspectos das diferentes soluções híbridas mencionadas acima. Para que a mudança seja realizada com sucesso, um fator importantíssimo é a disposição de testar e adaptar diferente soluções rapidamente quando os resultados iniciais não forem satisfatórios. Para que qualquer estratégia híbrida funcione de forma eficaz, os colaboradores e gerentes precisam ter clareza sobre o que esperar uns dos outros. É fundamental refletir e obter uma perspectiva mais abrangente sobre as expectativas de colaboradores e gerentes, para evitar que surjam desencontros de pensamento entre os dois grupos.

Nove dicas para formar uma estratégia bem-sucedida de local de trabalho híbrido

No momento em que empresas começam a experimentar novos modelos híbridos, é fundamental ter disposição para testar, testar e testar e aceitar as mudanças.

Além disso, as empresas precisam prestar atenção aos dados fundamentais, como flutuações no engajamento dos colaboradores. Afinal, a maneira como os colaboradores se sentem é um dos determinantes mais importantes do sucesso.

Além de adotar essas etapas, os especialistas da Colliers recomendam começar a usar as abordagens a seguir para realizar uma mudança bem-sucedida para o modelo de local de trabalho híbrido:

  1. Compreender as necessidades da sua organização usando pesquisas e focus groups e transformando informações em ação.
  2. Repensar e redefinir o papel do escritório e assegurar que o espaço tenha sido projetado para promover atividades importantes, como inovação e trabalho colaborativo, mantendo oportunidades iguais para participantes por ferramentas virtuais.
  3. Definir as normas da equipe. Definir os momentos que importam, prioridades de participantes e horários e em quais reuniões ou eventos a equipe deve estar presente.
  4. Estabelecer e comunicar claramente o que é esperado dos colaboradores e gerentes.
  5. Oferecer treinamento de gestão com foco em ajudar os colaboradores a trabalharem de forma eficaz em ambientes de trabalho híbridos.
  6. Investir em tecnologias que acomodem diferentes estilos de comunicação e definir  protocolos de comunicação compatíveis com um ambiente de trabalho virtual.
  7. Definir metas específicas para o uso do espaço, para que seja possível mensurar os resultados.
  8. Monitorar as informações e dados sobre engajamento dos colaboradores, como taxa de presença e métricas de utilização de espaços (por exemplo, horas gastas em salas de reunião) para medir o impacto de seus esforços e evitar um desencontro entre o que a organização pensou que os colaboradores precisavam e o comportamento e a atividade real dos colaboradores.
  9. Ter disposição para testar, aprender e evoluir, tentando novas soluções, conforme o necessário.

A adoção das abordagens eficazes compartilhadas aqui — incluindo diálogo frequente com seu pessoal, acompanhamento constante de KPIs dos colaboradores (como o engajamento) e comunicação precisa sobre as mudanças nas expectativas em tempo hábil — será ainda mais importante enquanto as variantes e surtos da COVID-19 continuam gerando incertezas em nosso trabalho e em outros ambientes.

Ryne Raymond é vice-presidente de consultoria de local de trabalho na Colliers. Charlotte Timms é diretora sênior na Colliers. Mary Kearl é bacharel em jornalismo pela NYU e MBA em marketing pela Baruch College Zicklin School of Business. Escritora e profissional de marketing, já trabalhou com dezenas das marcas e publicações mais admiradas do mundo, incluindo Adobe, Pinterest, Zillow, Target, HuffPost, Business Insider e muitas outras.

Repensando seu espaço de trabalho?

Este artigo foi útil?
Categoria
Estudos de pesquisas
Etiquetas
ADMINISTRAçãO
ESTRATéGIA IMOBILIáRIA
FLEXIBILIDADE