Por que me sinto revigorado com o futuro do trabalho

O presidente executivo da WeWork, Marcelo Claure, fala sobre como os espaços de trabalho flexíveis reinventam o escritório e o mundo do trabalho.

Enquanto entramos no décimo mês da pandemia global e no início de um novo ano, tive tempo para refletir sobre os enormes desafios que enfrentamos recentemente no mundo do trabalho

Os últimos meses causaram sofrimentos sem precedentes em todo o mundo. Temos enfrentado a perda de entes queridos, economias passando por dificuldades e mudanças dramáticas na forma como vivemos. No entanto, durante tudo isso, houve vislumbres de triunfo do nosso espírito humano coletivo. Em todos os setores, temos nos adaptado, nos esforçado para evoluir e encontrado novas soluções para os grandes desafios que enfrentamos: o mais inspirador deles, é claro, uma vacina contra COVID-19 desenvolvida em tempo rápido.

No entanto, ainda não estamos totalmente fora de perigo. Enquanto muitas pessoas ao redor do mundo aguardam para receber a vacina, estamos testemunhando novas ordens de confinamentos e trabalho em casa. As pessoas costumam me perguntar o que eu acho que o futuro reserva para a WeWork neste ambiente. A verdade é que nunca estive tão revigorado ou animado. A pandemia nos ensinou uma lição importante sobre o mundo do trabalho. O que era “normal” antes não estava funcionando — não era realmente ideal para empregadores ou funcionários. A WeWork tem a oportunidade agora para reimaginar o futuro do trabalho

De onde viemos

Até recentemente, campi extensos e sedes centrais eram vistos como um símbolo de sucesso. Com o setor imobiliário como o maior centro de custo para negócios além da remuneração dos funcionários, uma pegada física significativa poderia ser compreensivelmente vista como o resultado de um modelo de negócios triunfante. Mas quando a COVID-19 surgiu, o antigo status quo não resistiu ao desafio. Esses edifícios corporativos densamente povoados simplesmente não estavam equipados para oferecer suporte a um ambiente de trabalho seguro. E assim, voltamos para casa. Então, as manchetes começaram: “É o fim do escritório”.

O modelo de trabalho em casa foi bom, até não ser mais. Trabalhar em casa proporcionou uma mudança de ritmo, criando até uma oportunidade de produtividade individual mais eficiente para alguns. Porém, ao longo de muitos meses, houve uma clara mudança qualitativa e quantitativa na experiência. Ter um espaço de trabalho produtivo e exclusivo em casa é um privilégio disponível para poucos, mas mesmo aqueles com acesso a esse espaço sagrado descobriram suas imperfeições. 

WeWork 725 Ponce em Atlanta.

Escrevendo sobre minha própria experiência, tenho seis (maravilhosos!) filhos, e quatro deles estão agora em casa. Entre a escola virtual e o trabalho em casa, participamos de intermináveis videoconferências, aulas e atividades. Estamos competindo pelo Wi-Fi e também por tempo silencioso e concentrado. Embora estejamos constantemente “conectados”, não posso deixar de sentir que nenhum de nós está realmente conectado. Há uma lista interminável de momentos virtuais programados para percorrer que não deixa tempo para reflexão ou trabalho real. Tenho desejado um lugar para pensar e um espaço para inovar: espaço figurativo e literal.

E agora sei que não sou só eu. 

A novidade do modelo de trabalho em casa passou, e os líderes do setor e as empresas de todos os tamanhos estão enfrentando desafios reais. Fizemos a pesquisa na WeWork e os funcionários também estão enfrentando o mesmo sentimento. Nosso estudo cego global de trabalhadores de escritório profissionais em todos os setores mostrou que todos os estilos e níveis de trabalho sofreram impactos negativos na colaboração e inovação desde que o modelo de trabalho em casa foi estabelecido. Noventa por cento dos entrevistados desejam retornar ao escritório pelo menos um dia por semana. Por quê? Os dados mostraram, de forma geral, que trabalhar em casa tem dificultado a capacidade de brainstorming, de manter relacionamentos sociais e interações não planejadas — as mesmas coisas que inspiram criatividade e inovação.

Aprendemos que a quantidade de reuniões por chat de vídeo não substitui a qualidade (ou produtividade) resultante de passarmos um tempo físico juntos. Na verdade, de acordo com outro estudo, 36% se sentem menos positivos em relação à carreira e 45% se sentem menos produtivos. Estamos trabalhando mais do que nunca, mas o trabalho tem sido realmente eficaz?

WeWork 725 Ponce em Atlanta.

O modelo de trabalho em casa pode ser eficaz para algumas pessoas com estilos de trabalho ou funções específicas. O Twitter e o Shopify deram aos funcionários a opção de trabalhar remotamente para sempre. A palavra-chave dessas empresas é opção. Mesmo os gigantes da tecnologia que empregam engenheiros com trabalho solo significativo estão ouvindo que sua equipe deseja mudanças. Em uma pesquisa recente realizada no Google, 62% dos funcionários afirmaram que gostariam de ficar em um escritório alguns dias, enquanto apenas 10% desejam trabalhar em casa permanentemente depois de um desaceleramento do ritmo da pandemia. E a liderança da tecnologia não tem mais medo de reconhecer os desafios. Sundar Pichai, Satya Nadella e Reed Hastings manifestaram preocupações sobre o modelo de trabalho em casa.

O bem-estar físico e mental das nossas equipes está em risco. Um estudo da Oracle and Workplace Intelligence que entrevistou mais de 12.000 trabalhadores em todo o mundo demonstrou que 78% afirmaram que a pandemia impactou negativamente sua saúde mental. Nesse mesmo estudo, 85% afirmaram que a saúde mental insatisfatória associada ao trabalho afeta sua vida em casa. Em setembro, uma estatística chocante de um estudo da Lucidspark demonstrou que 1 em cada 5 trabalhadores remotos entrevistados estava, na verdade, violando as políticas de segurança da empresa em que trabalham para se reunir pessoalmente porque consideravam que suas reuniões virtuais eram ineficazes. Isso não está certo. Depende de nós, como líderes de negócios, fornecer as melhores soluções.

Para onde estamos indo

Como o maior provedor de espaço flexível do mundo, com 800 locais em 150 cidades em todo o mundo, sabíamos que era a hora de ouvir. Ouvimos os funcionários, nossos e de outros setores. Ouvimos os líderes de grandes empresas multinacionais, fundadores de startups pouco produtivas e todos os demais. Em geral, quatro prioridades ficaram claras:

  1. As equipes precisam de espaço físico juntas para um trabalho produtivo, colaborativo e criativo.
  2. Os líderes empresariais querem períodos de locação flexíveis de imóveis e temem ficar presos a locações de longo prazo em uma economia volátil.
  3. Os chefes do setor imobiliário e financeiro desejam dados de uso confiáveis para tomar decisões de compra, não apenas sobre quem está usando os espaços e quando, mas com a capacidade de prever espaços mais próximos geograficamente à casa do funcionário, com disponibilidade de estacionamento e uma pegada de carbono reduzida como resultado.
  4. A saúde e a segurança continuam a ser uma prioridade máxima para todas as partes, não apenas a segurança física, mas também o bem-estar mental.

Para os líderes, atender a essas necessidades tornou-se um desafio com o tradicional modelo de imóveis comerciais. Em uma economia tão tumultuada como a de hoje, o mercado imobiliário é um item essencial a ser questionado. Ao mesmo tempo que uma equipe de recursos humanos talvez esteja implorando ao diretor executivo para manter um espaço para colaboração, um diretor financeiro esteja argumentando contra a assinatura de contratos de locação de longo prazo que prendem a empresa a edifícios que talvez não sejam amplamente utilizados. O Chefe do gestão imobiliária deseja tomar decisões econômicas com base em dados reais de uso que vão além do rastreamento do cartão de acesso e considera como minimizar efetivamente o tempo de deslocamento dos funcionários e aumentar a acessibilidade.

O que começamos a ver são tendências para a flexibilidade, para funcionários e empregadores, porque está claro que não existe uma resposta única para todos. Um estudo da CBRE recente demonstrou que 86% dos entrevistados viam o espaço de trabalho flexível como um componente essencial da sua futura estratégia imobiliária. Quatro novas abordagens estão surgindo que vão moldar o futuro do trabalho:

  • Trabalho próximo de casa: disponibilidade de espaços de trabalho para os quais os funcionários podem ir andando ou usar a bicicleta. Isso prioriza a segurança e, ao mesmo tempo, fornece um ambiente otimizado para as tarefas individuais daqueles que não têm a opção de trabalhar em casa. 
  • Escritórios descentralizados: um modelo de distribuição radial que fornece aos funcionários escritórios-satélites mais próximos de casa, ajudando-os a evitar deslocamentos longos e fornecendo espaço para colaborar com segurança em pequenos grupos. Isso pode dar aos funcionários um sentimento de comunidade, mesmo com uma certa distância de uma sede central.
  • Hubs de colaboração: um modelo que muda o propósito de um escritório central, que passa a ser um local para atividades colaborativas pontuais, mantendo as políticas de trabalho em casa para tarefas individuais.
  • Espaços de trabalho com densidade reduzida: um modelo que reconfigura o espaço de trabalho original de uma empresa para o distanciamento social na mesma área física. Isso pode significar, por exemplo, que um espaço que tenha acomodado no passado 1.000 pessoas será reprojetado para abrigar 300. 

O setor imobiliário não foi projetado para flexibilidade. Os termos de locação do passado não apoiam essas estratégias espaciais emergentes. De acordo com o conselho editorial do Financial Times, “‘Híbrido’ será a palavra do ano em 2021.”

Na WeWork, estamos reimaginando o propósito do escritório e a forma como os escritórios são alugados. Somos o único fornecedor com escala para apoiar essas novas abordagens de maneira eficaz. (Somente na cidade de Nova York, cerca de 33% dos funcionários de escritório moram a 15 minutos a pé de um local da WeWork e 58% moram a 15 minutos de bicicleta.)

Quantidade de residentes da cidade de Nova York que moram a cerca de 15 minutos a pé ou de bicicleta de um local da WeWork.

Este é um momento crítico de mudança no setor imobiliário, e sabemos que temos soluções para apoiar as estratégias do futuro. 

Quem somos

Na WeWork, acreditamos que a flexibilidade seja um espaço de trabalho como serviço. Somos o único fornecedor no setor imobiliário a oferecer qualquer tamanho de espaço de trabalho de que você precise, pelo tempo que precisar — seja por uma hora ou anos e em qualquer lugar do mundo. Fazemos tudo isso sem nenhum investimento inicial e nenhum dos custos adicionais que normalmente vêm com o gerenciamento e a manutenção do escritório. Por isso, nossos espaços globais podem ser usados para acomodar agilmente todas as estratégias de espaço de trabalho emergentes e dar tranquilidade às lideranças das empresas, sabendo que elas podem evoluir e ajustar sua estratégia sempre que necessário. 

Todas as tendências de dados e espaço nos levaram a três produtos simples:

  • Espaços exclusivos: nossas opções de escritório privativo que variam em tamanho de uma a duas pessoas a andares completos ou edifícios inteiros para milhares de funcionários. Qualquer um deles pode ser configurado para ser usado apenas como espaços de trabalho colaborativo, com densidade reduzida para distanciamento social ou descentralizado em vários edifícios de uma cidade, país ou mesmo continente. Graças à nossa escala global, você pode confiar que as equipes distribuídas sempre terão uma qualidade consistente de espaço, independentemente de onde estejam. E você ainda tem acesso ilimitado a salas comuns e saguões como áreas adicionais para trabalho ou atividades em equipe socialmente distantes. 
  • All Access: nossa opção de assinatura mensal, WeWork All Access, dá aos indivíduos acesso a mesas e espaços comuns em centenas de locais em 150 cidades. Essa é uma solução ideal para líderes que procuram dar aos indivíduos distribuídos opções de trabalho perto de casa de curto ou longo prazo, ao mesmo tempo que fornece espaços seguros para os grupos se reunirem sempre que quiserem. 
  • On Demand: nossa opção de pagamento por uso, WeWork On Demand, permite que você reserve mesas e salas de reunião a qualquer hora, em qualquer lugar, sem compromisso de longo prazo. Essa opção é ideal para equipes que procuram espaços colaborativos ad hoc e soluções para trabalhar próximo de casa.
O aplicativo WeWork On Demand permite aos usuários reservar espaços por hora ou dia em centenas de locais da WeWork. Imagem da WeWork.

A beleza desses produtos é que eles podem ser agrupados, misturados e combinados ou ampliados e reduzidos à vontade. Nossos membros podem criar facilmente seu próprio modelo híbrido, decidindo por si mesmos o que é melhor para seus negócios. 

A sinalização comportamental, como os adesivos de piso acima no WeWork 120 Moorgate em Londres, ajuda a enfatizar as medidas de distanciamento social no escritório.

Priorizamos a saúde e a segurança dos nossos funcionários e membros e firmamos parcerias com empresas líderes de saúde e segurança para redefinir nossos padrões. Como resultado, investimos um capital significativo em um novo sistema de climatização com tecnologia de ponta para ótima qualidade do ar, aumento das medidas de limpeza, instalação de 19.000 dispensadores de álcool gel, sinalização comportamental projetada de forma cognitiva para reforçar o distanciamento social, e agora estão oferecendo descontos nos kits de coleta doméstica de teste de COVID-19 da Physician 360. Temos orgulho de ser o líder mundial em saúde e segurança no mercado imobiliário. 

Planeje hoje o amanhã

A realidade é que agora é a hora de agir. Mesmo com a promessa da vacina, não podemos ter certeza de quando a ameaça da COVID-19 terminará, mas sabemos que o planejamento para o futuro do trabalho é fundamental para reconstruir nossa economia global e para a saúde das nossas equipes. Esse planejamento deve começar agora. 

Quarenta porcento dos membros da Fortune 100 são membros da WeWork, e muitos estão trabalhando conosco agora para remodelar seus espaços de trabalho para as estratégias imobiliárias do futuro. Eles estão pensando mais intencionalmente sobre como usar o espaço, onde querem e quando. Eles estão proporcionando conforto a seus funcionários, priorizando sua segurança e ouvindo e respondendo às suas necessidades exclusivas. Eles estão usando nossa tecnologia para prever locais otimizados geograficamente para minimizar o deslocamento diário. Eles estão reimaginando a função do escritório e planejando soluções híbridas de espaços compartilhados, descentralizados e dedicados para oferecer a suas equipes o máximo de flexibilidade, reduzir seus custos fixos e fornecer uma experiência perfeita em todo o mundo.

Por isso, quando as pessoas me perguntam: “Como você se sente em relação ao futuro do trabalho?”, respondo com entusiasmo que é porque estou genuinamente inspirado pela oportunidade que está diante de nós. Aqueles que acreditam que voltaremos à mesma forma de trabalho antes do início da COVID-19 estarão fechando suas portas. Como um analista do The New York Times escreveu recentemente, “O Coronavírus não acabará o escritório. No mínimo, vai se tornar mais dinâmico do que nunca. A capacidade de trabalhar remotamente não afastará a maioria das pessoas das cidades e escritórios, mas permitirá que muitos vivam e trabalhem de novas maneiras e locais”. 

Se compreendermos esse momento como um momento para reinventar o espaço de trabalho para ser mais seguro, mais produtivo e mais colaborativo, as possibilidades do que podemos alcançar vão muito além das paredes de qualquer escritório.

Marcelo Claure é presidente executivo da WeWork e diretor executivo da SoftBank Group International.

Interessado em um espaço de trabalho? Entre em contato.
Was this article useful?