Como inovar como um disruptor

Por Veresh Sita, Diretor Global da Powered by We e Consultor da WeWork

Todas as empresas devem inovar para sobreviver. E isso pode ser um desafio. No entanto, existem formas de criar um ambiente que conduz a uma necessidade de mudança e fomenta uma cultura de inovação.

WeWork na Gas Tower Company em Los Angeles

Todos nós sabemos que devemos inovar para sobreviver. Algumas empresas aparentemente dominaram a arte da inovação; elas têm a capacidade de derrubar paredes, construir produtos, mudar o foco na velocidade da luz e interferir em setores inteiros. Mas, para muitos, a inovação é um desafio complexo. Processos, pessoas e normas atrapalham o caminho.

Como líder global de negócios, como você pode incentivar a sua equipe a inovar como um disruptor?

Dizem que a necessidade é a mãe da invenção. Eu cresci na África do Sul, onde, para mim, a escassez era um modo de vida. Tínhamos de aproveitar ao máximo o pouco que tínhamos. Inovávamos naturalmente, sem nunca chamar isso de inovação.

A maioria das empresas globais não sofre de escassez. Mesmo que eliminem os disruptores, ainda têm vasto capital e recursos. Não é à toa que não são capazes de inovar. A verdade é que elas nunca criaram uma necessidade atrativa para fazer as coisas de um jeito diferente. No entanto, descobri que existem formas de criar um ambiente que conduz a uma necessidade de mudança e impulsiona a cultura de inovação.

Mudar os negativos para positivos

Escassez. Impulsividade. Fracasso. Essas palavras tendem a ter conotações negativas. Mas cada uma é positiva no contexto da inovação.

Quando as pessoas ouvem a palavra escassez, pensam estar privadas dos recursos de que precisam para ter sucesso. No entanto, startups sabem que operar com escassez as faz pensar com criatividade, o que é empolgante e revigorante, além de poder infundir nas equipes um forte senso de propósito.

Impulsividade é outro termo desvalorizado; você pode ser impulsivo sem oferecer um trabalho de qualidade ruim. Inovação requer presteza (velocidade, agilidade e capacidade de mudar rapidamente) e a impulsividade ajuda nisso. Ser "impulsivo" significa que você pode iniciar o trabalho com poucos recursos e economizar tempo enquanto estiver trabalhando nele.

Cada processo que a empresa coloca em vigor destina-se a evitar o fracasso. E, quando todos os sistemas são à prova de fracasso, não há espaço para ser criativo e ultrapassar os limites. Os líderes precisam fazer engenharia reversa e construir ambientes seguros para que ocorram fracassos e onde os funcionários sintam-se capacitados para testar hipóteses, analisar resultados e experimentar ainda mais. Quando o fracasso é pensado como "aprendizagem acelerada", a inovação acontece.

Quando o fracasso é visto como "aprendizagem acelerada", a inovação acontece.

Veresh Sita, Diretor Global da Powered by We e Consultor da WeWork

Gerencie como um investidor

Todo líder precisa operar como um investidor Os investidores tendem a se sentir confortáveis com o risco; eles sabem que quando investem em startups, essas empresas vão evoluir constantemente. Investidores permitem que elas façam o que precisam fazer, pois acreditam que o aprendizado as ajudará a ter sucesso. Se todos os líderes de empresas adotassem a mesma abordagem, dariam às suas equipes a liberdade de que precisam para inovar.

Ao longo da minha carreira, tenho usado essa abordagem e visto retornos incríveis. Um exemplo é de quando eu era CIO da Alaska Airlines. As vantagens de voo estão entre os melhores benefícios para funcionários da companhia aérea. Ainda assim, não era fácil para os funcionários reservarem suas viagens. Para resolver isso, criei uma equipe de funcionários automotivados, dei a eles um orçamento restrito e total liberdade para operarem como uma startup. Eu atribuí um líder e permiti que ele se comportasse como o CEO da startup. A equipe muito rapidamente criou protótipos, montou laboratórios de experiência do usuário em parceria com empresas locais e realizou demonstrações em eventos do time. Ao longo do caminho, resolveram desafios políticos, orçamentários, técnicos e de pessoal. Por fim, seu trabalho árduo resultou em um aplicativo chamado Hopper, que tem interface e equipe dedicadas.

Talvez o mais importante, o sucesso do Hopper estabeleceu uma forte cultura de inovação, em que os funcionários são fortalecidos para desenvolver soluções para melhorar as experiências do cliente e do funcionário.

Criar espaços físicos que impulsionam a inovação

Inovação não é apenas uma ideia ou processo; os espaços físicos em que as equipes operam também desempenham um papel. As pessoas tendem a adaptar seu comportamento para combinar com o ambiente. Por exemplo, se eu levasse alguém para uma casa de adoração, um concerto e uma biblioteca, essa pessoa se comportaria de forma diferente em cada local. Cada espaço inspira uma variedade de sentimentos, emoções, processos de pensamento e padrões de comportamento das pessoas que os habitam.

Quando falamos em inovação e startups, a frase sempre usada é "três homens em uma garagem". Algumas das mais bem-sucedidas e famosas startups do mundo começaram em garagens, como a Amazon e a Apple, para citar algumas. Aqui está o motivo: a garagem é um ambiente seguro. É informal, aconchegante e privada, faz parte da casa de alguém. É flexível: quando sua garagem é seu escritório, você pode definir seus próprios horários. Você pode ir lá fora, levantar-se e ir para outros cômodos. Você é livre para trabalhar no estilo que melhor lhe convier. Essa liberdade permite que as pessoas pensem com criatividade sem medo de julgamento.

Ao impor às pessoas limites de tempo e espaço, elas não conseguem ser criativas. Se Jeff Bezos e Steve Jobs tivessem sido forçados a trabalhar em cubículos monótonos e cinzentos, eu aposto que seus níveis de inovação não teriam sido os mesmos. Não quer dizer que equipes deveriam realmente trabalhar em garagens. Mas remover as restrições de tempo e de espaço e dar às pessoas ambientes em que elas se sintam livres para pensar e criar sem inibições.

WeWork na Ciyunsi em Pequim

Construir equipes diversas

A diversidade é, talvez, o ingrediente mais necessário para a inovação.

Nós somos a soma das experiências da nossa vida. Nossas culturas, gêneros, religiões, orientações sexuais, locais de origem, idiomas, criações e educação influenciam as perspectivas que trazemos para a solução de problemas.

Os mesmos tipos de pessoa explorarão apenas um caminho. Devemos explorar muitos para encontrar o sucesso.

Quando se trata disso, a inovação nada mais é do que a solução dos problemas. Ao dar às suas equipes as condições certas para tratar dos desafios, elas apresentarão soluções criativas que talvez você nunca tenha pensado que eram possíveis.

Saiba como a WeWork estabelece parcerias com empresas para criar ambientes que inspiram a inovação.

Leia mais

A WeWork é um fornecedor de espaço de trabalho global que projeta, desenvolve e opera espaços envolventes para empresas de todos os tamanhos. Conheça nossas histórias e parcerias aqui.