Equipes distribuídas estão em ascensão—aqui está o porquê

Por: Michael Hershfield, diretor sênior, segmento de médias empresas, WeWork

Equipes distribuídas estão se tornando cada vez mais comuns. É por isso que você verá mais delas em todos os setores.

WeWork na Aventine

Se você ainda não estiver familiarizado com a ideia de "equipes distribuídas", em breve estará.

Equipes distribuídas são compostas por funcionários que trabalham remotamente em qualquer lugar do mundo, em vez de estarem centralizadas em uma única sede física. Isso significa que seu diretor de operações ou engenharia pode estar em Nova Iorque, mas os membros da equipe vivem e trabalham em Londres, Nashville, Detroit, Kansas City e São Francisco.

Boris Wertz, um investidor em Vancouver, minha cidade natal, discutiu o conceito de equipes distribuídas em um recente post em um blog. Ele argumenta que, devido ao mercado de trabalho competitivo de hoje, é hora de as empresas desafiarem a sabedoria tradicional de não construir equipes em outros mercados até que tenham pelo menos 100 funcionários.

Na WeWork, vi o surgimento de equipes distribuídas geograficamente, especialmente entre os clientes que têm entre 11 e 999 funcionários. Eu prevejo que veremos muito mais empresas adotando a estrutura de força de trabalho distribuída em 2019. Aqui está o motivo:

Nunca foi tão fácil trabalhar remotamente.

Hoje, a tecnologia nos conecta instantaneamente. A videoconferência nos permite bate-papo praticamente frente a frente e as ferramentas de mensagens nos colocam em contato constante, não importa se nossas equipes estiverem na mesma cidade ou fuso horários diferentes.

A tecnologia permite que as equipes distribuídas permaneçam em contato constante.

É mais difícil do que nunca atrair e reter talentos.

Recentemente eu organizei um evento na Inc. 5000 conference, celebrando as empresas de mais rápido crescimento nos Estados Unidos, e quase todos os líderes com quem conversei disseram que seu maior desafio é atrair e reter talentos.

Mesmo as empresas mais bem-sucedidas e de alto crescimento competem com grandes empresas como Amazon e Google, que oferecem altos salários, regalias e reconhecimento de marca. E como as empresas de médio porte operam em uma escala muito mais enxuta, seus funcionários precisam ser ágeis, desconexos e capazes de trabalhar em estreita colaboração com seus pares em todas as partes da empresa. Encontrar (e manter) as pessoas certas pode parecer uma tarefa impossível.

É aí que as equipes distribuídas têm uma vantagem distinta: elas oferecem às empresas a capacidade de encontrar o talento onde ele está. Em alguns casos, uma empresa encontra um funcionário em potencial que esteja ansioso para aceitar o trabalho, mas ele não está disposto a se mudar. Outras vezes, um funcionário talentoso precisa se mudar para uma cidade diferente, mas quer permanecer na empresa. Em qualquer cenário, a empresa tem duas opções: aceitar um funcionário remoto ou perder talentos valiosos.

As empresas devem ser ágeis para sobreviver.

Com a velocidade dos negócios aumentando mais rápido do que nunca, as empresas precisam responder rápido `às oportunidades, seja investindo em iniciativas específicas ou preenchendo funções essenciais. Na WeWork, nós descobrimos que empresas de médio e grande portes precisam de quantidades diferentes de posições de trabalho dependendo do mês, independentemente do segmento de atuação. Por isso, elas geralmente informam o nível de flexibilidade de que precisam.

O espaço de trabalho está se tornando mais centrado no funcionário.

Mais do que nunca, pessoas querem (e esperam) regimes de trabalho flexíveis. Entre os millennials, 76% aceitariam uma redução no pagamento em troca de mais flexibilidade. E não apenas essa geração: 96% da força de trabalho precisa de alguma forma de flexibilidade, mas apenas 47% tem acesso a isso.

Não é de se admirar: a pessoa média vai passar 90 mil horas no trabalho ao longo de sua vida. Ao mesmo tempo, somos seres humanos com cônjuges, filhos, pais, amigos e hobbies aos quais queremos dedicar nosso tempo. Uma ou duas horas de flexibilidade extra por dia pode ser a diferença entre sentar-se para jantar com os nossos filhos ou passar esse tempo se deslocando.

Todos esses fatores criaram o ambiente ideal para equipes distribuídas. Uma força de trabalho distribuída pode ajudar sua empresa a contratar talentos superiores (independentemente da sua localização) e retê-los através de acordos de trabalho flexíveis. A tecnologia permite que seus funcionários colaborem de maneira eficaz e formem amizades duradouras. Além disso, você pode economizar em custos imobiliários, porque, em alguns casos, você não precisa assinar um contrato de aluguel de longo prazo para uma sede.

A maioria dos funcionários hoje quer (e precisa) de flexibilidade.

Um membro de WeWork que possui uma estrutura de equipes distribuídas é a TripActions, uma empresa de gerenciamento de viagens corporativas em rápido crescimento. A TripActions tem mais de 400 funcionários em sete escritórios nos EUA, Europa e Austrália. A empresa contratou, estrategicamente, funcionários em locais onde seus clientes estão e onde existe um grande mercado potencial para o crescimento.

"Como uma empresa que prioriza o cliente, queremos estar fisicamente presentes para fornecer suporte com contato humano ao cliente", diz Nina Giovannelli, VP de operações de negócios, TripActions. "Ter escritórios físicos ao redor do mundo permite que nossas equipes estejam no local e próximas de nossos clientes, para que possamos entender suas necessidades e o cenário dinâmico do setor de viagens."

É só uma questão de tempo antes de empresas como a TripActions serem o padrão em todos os setores.

Leia mais

A WeWork é um fornecedor de espaço de trabalho global que projeta, desenvolve e opera espaços envolventes para empresas de todos os tamanhos. Conheça nossas histórias e parcerias aqui.